Informativos

IX CONCÍLIO GERAL: IMW SE POSICIONA CONTRA HOMOSSEXUALISMO, PROSTITUIÇÃO E PEDOFILIA.

Esta quarta-feira (15/07), foi um dia de muito trabalho no IX Concílio Geral da Igreja Metodista Wesleyana, que está sendo realizado no Centro de Convenções John Wesley, em Xerém, Duque de Caxias – RJ. Entre os assuntos em pauta, a eleição da Comissão de Legislação e Comissão de Informática e Estatística e algumas questões complexas relacionadas à Legislação do Estatuto e Regimento Interno.

O plenário rejeitou a proposta que permitia o recebimento de pessoas que vivem em união estável (moram juntos, mas não são casados) na membresia da igreja. O texto aprovado mantém a obrigatoriedade do membro wesleyano ter a situação civil regularizada e aceita pela Igreja. A única exceção será relacionada quando em função da cultura e localidade (ex: tribos indígenas e outros povos), sendo que estes casos deverão ser analisados individualmente pelo Conselho Ministerial Regional, que dará a decisão final.

O plenário tratou da questão da aplicação de disciplina aos membros da igreja, se posicionando de maneira clara contra a prática da prostituição, homossexualismo e também quanto à pedofilia. A proposta aprovada especifica, detalhadamente, quais são as práticas de atos imorais que resultarão na disciplina do membro. O texto anterior apenas citava de forma geral “atos de imoralidade”. A nova redação especifica quais são estes atos de imoralidade, ficando assim:

“Art. 15.  Estará sujeito à disciplina o membro que:(...)

IV – Praticar atos de imoralidade, segundo a Bíblia:

a) Adultério;
b) Prostituição;
c) Homossexualismo;
d) Pedofilia;
e) Outros atos incompatíveis com a ética e a moral cristã definidas pela Igreja Metodista Wesleyana.”

De acordo com o delegado da primeira região, Leandro Pedras, esta decisão demonstra maturidade da Igreja em confrontar as inúmeras propostas, no cenário legislativo nacional, de aceitação a estes atos imorais: “Ficamos muito felizes por este assunto ser tratado na Assembléia mais importante de nossa Igreja, tendo sido aprovado por unanimidade dos conciliares presentes, que entenderam a necessidade da Igreja se posicionar de forma clara e ousada nesta guerra que cremos ser espiritual. Isso não quer dizer que a Igreja é contra aos que praticam tais atos, mas, todavia, condena o que biblicamente é pecado”.  

Na última sessão do dia, o plenário começou a discutir a questão da jubilação dos clérigos. Por se tratar de um assunto complexo e polêmico, com discussões inflamadas onde vários delegados manifestaram opiniões diferentes, o tempo regulamentar foi ultrapassado. Este assunto volta a pauta na próxima sessão a ser realizada nesta quinta-feira (16/07), logo pela manhã.

De uma em uma hora, o plenário é interrompido para um momento de oração em favor das decisões a serem votadas, pois cremos que Deus é que rege sua Igreja. Aproveitamos para convidá-lo a orar juntamente conosco por este Concílio.

COMISSÕES ELEITAS

COMISSÃO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA

MARCOS BATISTA 275 - PRESIDENTE
JOSÉ SANDOVAL 235
GUSTAVO FIGUEIREDO 222
EDILTON LEÃO 220
JOSÉ PEDRO DUTRA 162

COMISSÃO DE LEGISLAÇÃO

CLÉRIGOS
RAIMUND MATTOS 223 - PRESIDENTE
JAIRO FERNANDS 200
JOSÉ DAMIÃO SOUZA 165
LUIS FENANDO HAMMES 163


LEIGOS
JONATAS COELHO 207
CARLOS BALMAN 188
NATANAEL LIMA 164